Beleza Receitas Maquiagem Vídeos Look do dia Viagens

Se inscreva no Canal

terça-feira, setembro 22, 2015

Desabafo de uma gorda pra Betty Faria

Semana passada, a atriz global Betty Faria deu uma uma entrevista a revista Joyce Pascowitch falando sobre sua vida. Porém, algumas declarações causaram muita revolta:

“Todo mundo tem o direito de falar o que quiser. Eu, por exemplo, não gosto de mulheres gordas. Elas me incomodam profundamente. Tenho repulsa, rejeição. Sempre batalhei para não ser uma velha gorda”

E continua:

”Sempre batalhei para não ser uma velha gorda. Jamais compraria um quadro do Botero.”

“É que nem cabelo rastafári. Aquilo é um horror. A pessoa cai no mar e não lava, fica um cheiro terrível. Agora, me diz: por que eu tenho de ser boazinha com a gorda e o cabeludo rastafári?”.

 

 

...............................................................................................................................................

 

Ok, Betty, você NÃO PRECISA GOSTAR de gordos, nem de rastafári, nem de pessoas que usam oncinha, nem de pessoas que pintam as unhas dos pés de vermelho. MAS PRECISA RESPEITAR-NOS.

Nós, gordas, sofremos a pressão social de sermos magras o tempo inteiro. Nas ruas, nos olham como uma pessoa digna de pena. As roupas então, só tem números "pra gente normal" (como se fôssemos ETs mas ok) e o G é tamanho PP de antigamente. Fora nas baladas, onde somos constantemente HUMILHADAS pelo simples fato de sermos gordas (Clique aqui e confira).

 

Então, Betty, não, nós gordas não precisamos também de uma retaliação de uma pessoa pública. Além de ser infeliz em sua declaração, você ainda diz que "sempre batalhou pra não ser uma velha gorda..." mas se esqueceu que TODO MUNDO envelhece, magras e gordas e todas ficam com as famosas pelancas. Sim, nem você que batalhou tanto pra não ser a tal velha gorda, terá sim suas pelancas. E quem disse que velhas gordas não são felizes?!

 

Mas sabe qual o grande porém?! É que você, Betty, não aceita que as gordas se amem. Você é como grande parte da população que exerce um tipo chamado "preconceito velado" onde todos apelam pelo lado estético ou saúde como uma forma de crítica. Oras, quem nunca ouviu um "você é linda de rosto, poderia emagrecer!" ou um "melhor emagrecer por causa da saúde!". Mas esquecem que, no fim, é simplesmente um incômodo alheio por nós, gordas, estarmos felizes gordas mesmo.

 

Muita gente esquece o bom senso em casa. E o pior: esquece que o gordo também é ser humano. Aliás, todos nós temos que respeitar o espaço de cada um como gordos, magros, altos, baixos, brancos, pretos... Aliás, temos que respeitar também os gostos: se acha brega e feio pintar suas unhas dos pés de vermelho ou usar oncinha, apenas não use ou faça. Se não gosta de gordos, simplesmente não seja uma gorda, mas NÃO HUMILHE ou MENOSPREZE quem é. Sente nojo e repulsa porque?! GORDURA NÃO É CONTAGIOSO, sabia!?

 

Se lembra desse episódio, Betty?!

19245-700x487 AOS-72-ANOS-DE-BIQUINI betty-praia

 

As pessoas te julgaram, te chamaram de velha e nós, gordas que sabemos o preconceito na pele todos os dias, fomos as primeiras a te defender. Fomos as primeiras a levantar a bandeira do "seu corpo, sua vida".

E agora, Betty, você nos decepcionou.

E sabe qual o pior de tudo, Betty?! Você não se lembra, mas já foi garota-propaganda do programa de emagrecimento Vigilantes do Peso e é a atriz de um comercial de chocolates. Meio irônico, não acha?!

 

Sabe, Betty, sempre te apoiei em suas declarações. Você não foi só infeliz, mas disseminou ainda mais o preconceito com os gordos (a famosa gordofobia) e o que mais me abala é que os negros têm leis que os protegem do racismo, assim como os gays da homofobia, as mulheres com a Maria da Penha... E que lei vai defender os gordos?! Quem vai lutar pela gente?! Quem vai estar lá pra gritar pela gente!? Pra nos apoiar e pra nos ajudar?! Pois é, silêncio.

 

Sabe Betty, ninguém gritou por mim quando apanhei na escola por ser "gorda de cabelo ruim". Ninguém levantou a voz quando eu disse que sofria bullying. Ninguém me defendeu quando me agrediram verbalmente (e algumas vezes, fisicamente) numa balada. Ninguém nunca falou que tava do meu lado nessa luta. Então, Betty, ninguém precisa de mais uma pessoa (ainda mais pública) nos dizer o que ser gorda é ou o que sente por uma gorda. Nós sabemos que tem gente que sente repulsa/nojo/pena/o que seja, mas apenas a mantenha pra vocês. ISSO NÃO É OPINIÃO.

 

Betty, aprenda que mesmo aos 74 anos e sendo um ícone da TV brasileira, você NÃO TEM O DIREITO de fazer esse tipo de declaração, de exalar e incentivar o preconceito aos gordos. E mesmo que fuja do assunto o tempo inteiro falando que "corrupção, CPMF ou a Síria são mais importantes que esse tipo de coisa", você mostra apenas que está errada, reafirmando seu preconceito e o admitindo publicamente a todos seus fãs e seguidores de sua carreira.

 

Você, Betty, pode não se importar com as pessoas, com o que elas pensam ou sentem. Mas pensa bem se uma pessoa pública, formadora de opiniões, pode disseminar esse tipo de ódio gratuito e barato, um ódio antinatural e desrespeitoso que já vem sendo disseminado no Brasil e no mundo há tanto tempo. Já viu quantas pessoas se suicidam por ano graças ao preconceito (hoje, chamado de bullying)?! Quantas pessoas perdem a vontade de viver graças a esse tipo de coisa!? Pensa bem, antes de falar, Betty! Se nojo pode transformar ódio em uma pessoa e, disseminando suas palavras, causar mal a outras pessoas. Vi em fóruns coisas horríveis sobre gordas, inclusive que todas deveriam MORRER pelo bem da humanidade. Sim, eu li que eu deveria morrer que faria bem pra humanidade. Como você acha que eu me senti, Betty?!

 

Não espero que leia isso, Betty. Foi só mais um desabafo que tava mais que entalado na minha garganta e na de muitas pessoas também. Não tenho medo de me expor ou de colocar a cara a tapa quando digo o quanto foi estúpida, rude e preconceituosa essa sua "opinião". Rastafári é lindo. Não gosto de oncinha, mas não vou humilhar pessoas que gostam pelo puro prazer de "expressar minha opinião". Também não gosto de unhas vermelhas em mim e não é por isso que eu "dou minha opinião" pra quem gosta. Admiro em quem gosta e ponto.

Eu te admirava, Betty.

Não quero que grite pelos gordos. Nem pelos rastafári (que na verdade, rastafári é uma religião, o adereço referido é dreadlocks). Nem por quem usa estampa de onça. Nem por quem pinta as unhas de vermelho. Quero que RESPEITE e PARE DE DISSEMINAR ESSE PRECONCEITO. Apenas pare que está feio, rude e desnecessário.

 

Desculpe o texto enorme, Betty. Apenas quero mostrar a todo mundo o que é ser um gordo. Gordo no país "da bunda grande, corpo violão sarado e da cor do pecado". Gordo onde te discriminam desde novos, desde que é criança. Gordo num lugar que nunca pode ser seu. Gordo num país que vê corpo e não suas habilidades no currículo. Gordo num país subdesenvolvido mentalmente. É, porque as pessoas aqui só pensam em humilhar. E o pior é que TODO GORDO é visto como motivo de relaxo e NEM TODO GORDO é gordo porquê quer, graças a um motivo de saúde. É Betty, nem todos têm dinheiro pra se tratar e, já foi no SUS?! São anos de espera! Absurdo né!?

 

Vou parar por aqui. Não adianta porque eu sei que as pessoas irão sim, criticar o site e a mim por fazer "apologia a obesidade". Não, não o faço, Betty. Apenas mostro que QUALQUER UM É LINDO INDEPENDENTE DO PESO, ALTURA, COR, TAMANHO, CREDO, SEXO. Qualquer um pode ser lindo, pode ser incrível. Na nossa campanha especial pro Lingerie Day, por exemplo, além das lindas gordinhas, tivemos também uma cadeirante linda e com orgulho de ser quem ela é, independente das criticas. Acha que por ser cadeirante, isso limitou ela de ser quem é!? Você também acha que cadeiras de rodas limitam as pessoas, Betty?! Pra mim, nada tem limite quando você é e tem vontade de ser o que quiser.

 

Você era bonita e, infelizmente, agora te vejo apenas como uma velha preconceituosa e rancorosa com o mundo. Só consigo pensar nisso nesse tipo de ataque gratuito aos gordos. Desculpe, Betty.

 

É Betty, você perdeu muitos fãs e admiradores. Mas pelo visto, perdeu mesmo foi o bom senso.

 

Da gorda,

Rê Maldonado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário